• Publicado em

    Padrasto é preso suspeito de abusar sexualmente de enteadas com conivência da mulher, em Goiás

    As crianças informaram à polícia que era a mãe quem determinava que elas se revezassem para vigiar o padrasto, enquanto este estava sozinho.

    De acordo informações divulgada pela policia Militar de Goiás, a Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM) de Valparaíso cumpriu mandado de prisão temporária em desfavor do padrasto de duas crianças nesta quinta-feira (25). O suspeito era  investigado pelo crime de abuso sexual praticado contra as filhas de sua companheira.

    Em julho de 2017, as duas crianças relataram os abusos sofridos aos educadores da escola, os quais as encaminharam pra DEAM, denunciando o crime. Segundo relatos, os abusos sexuais eram recorrentes por parte do padrasto das meninas.

    As crianças informaram à polícia que era a mãe quem determinava que elas se revezassem para vigiar o padrasto, enquanto este estava sozinho. Nesses momentos, o padrasto passava as mãos nas partes íntimas das meninas, mordia seus seios e as sentavam no colo dele, ocasião em que se esfregava nas meninas. As irmãs, embora repelissem as ações, continuavam sendo abusadas.

    As duas haviam relatado o crime para a mãe, a qual, mesmo cientificada dos fatos, permitia que crianças ficassem sozinhas com o padrasto e não adotou nenhuma providência, ocasião em que deveria ter protegido as filhas. Ela também foi presa e será indiciada.

    Diante dos relatos, a delegada Ísis Leal representou pelas prisões temporárias dos suspeitos – mãe e padrasto – as quais foram deferidas judicialmente e cumpridas pela polícia.

    A delegada ainda enalteceu o trabalho dos agentes e escrivães Fabíola Ambrózio, Hélio Marreiros, Iudaci Morais, João Arcanjo e Sandra Teixeira.




    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.