• Publicado em

    Parecia ser uma mãe amorosa, diz conhecidos de mulher que matou filha a marretada e colocou fogo; em Goiânia

    Ela a se separou do pai da criança ainda quando estava grávida.

    O caso da criança que foi assassinada pela própria mãe em uma casa no setor Parque Santa Rita, em Goiânia, na manhã desta quinta-feira (21), causou uma grande comoção no Estado.

    Após ser morta possivelmente com uma pancada, a menina que tinha aproximadamente dois anos foi carbonizado dentro de uma piscina de plástico sob entulhos. A monstruosidade foi cometida por Alessandra Fiuza Neves, de 33 anos.

    Leia também;  Padrasto mata enteada de 15 anos a facadas em Goiás

    De acordo informações de pessoas que conheciam a Alessandra, ela parecia ser uma mãe amorosa. Além da criança assassinada, ela tinha outro filho de 12 anos.  O garoto foi socorrido e levado para o Cais do Bairro Goiá.

    Informações do Conselho Tutelar repassadas ao G1 GO, são de que o garoto está estável, ele relatou ter ficado ao menos cinco dias sem comer, e está recebendo soro para combater a desnutrição.

    Alessandra é formada em Educação Física e não apresentava ter problemas psicológicos, a extrema vaidade dela  foi algo que sempre chamou a atenção dos amigos. Devido a isso ela usava remédio para emagrecimento constantemente, já que ela havia ganhado muito peso desde que teve a filha.

    Após cometer o crime Alessandra tentou suicídio e foi encontrada desacordada, ela foi socorrida pela equipe de resgate dos Bombeiros, levada a uma unidade de saúde e depois a Polícia Civil a encaminhou à Central de Flagrantes, onde ela está presa.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.