• Publicado em

    Plano Nacional de Educação:  metas para o ensino infantil não foram atingidas

    Veja abaixo alguns dos fatores que contribuíram para isso.

    Uma análise revela que a educação básica do Brasil está longe da meta do Plano Nacional de Educação (PNE) estipulada para 2024. O ensino infantil despertou uma maior preocupação pois, mesmo que 3,5 milhões de crianças de até 3 anos estejam matriculadas em creches, 6,7 milhões estão fora delas. Esses dados foram revelados pela Pnad Continua da Educação 2018, pesquisa anual do IBGE.

    Diversos fatores como a falta de instituições públicas na localidade ou até mesmo a falta de vagas justificam o porquê desse déficit na matrícula. Uma das soluções são as bolsas de estudos ofertadas por programas como o Educa Mais Brasil. “Se não fosse pela bolsa, seria complicado. Trabalho o dia todo e não tenho ninguém para cuidar dele”, pontua Elizangela de Almeida, mãe do pequeno Wesley de Almeida, de 3 anos. Ela matriculou o seu filho na Escola e Creche Sonho de Criança, parceira do Educa Mais.

    Leia também: Está na dúvida de qual carreira seguir? Conheça alguns cursos

    Quem também precisou recorrer a uma bolsa de estudo foi a mãe da bebê de 7 meses, Isis da Silva, que a matriculou na Escola Vila Alecrim Berçário e Educação Infantil. “Quando fiquei sabendo da oportunidade logo matriculei. Se não fosse isso, teria que parar de trabalhar para cuidar dela”, conta Andrya Rafaela.

    Bolsas de estudo para creche e escola

    Ambas as mães conseguiram uma bolsa de estudo para os seus pequenos através do Educa Mais Brasil, programa que faz um trabalho social de inclusão educacional há mais de 15 anos em todo o país. A oferta é de bolsas para educação básica, infantil, ensino médio e para o ensino superior com até 70% de desconto em diversas instituições do Brasil. Para se candidatar, basta acessar o site do programa, escolher a modalidade e fazer a inscrição de forma gratuita.

     

    Playlist Jornal Das 11, assista;

    Agência Educa Mais Brasil

     

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.