• Publicado em

    Polícia acredita que jovem morta na UEG ligou para o assassino antes do crime encomendando drogas

    Ela foi morta após ser perseguida pelo homicida até a unidade da na Universidade Estadual de Goiás onde tentou se esconder.

    A Polícia Civil (PC) de Caldas Novas não descarta a possibilidade da morte da jovem Ana Carolina Emídio, de 20 anos, na Universidade Estadual de Goiás (UEG) da cidade, ter sido motivada por dívidas relacionadas a drogas.

    De acordo com o delegado responsável pelas investigações do caso, Tibério Martins Cardoso, ela teria realizado uma ligação momentos antes do crime para encomendar alguns entorpecentes.

    Leia também: Pai e filha são presos por homicídio em Goiás

    Por já ter problemas com os traficantes, o pedido pode ter motivado uma possível execução. O crime aconteceu na manhã desta segunda-feira (04), quando a jovem estava do lado de fora da faculdade.

    Ela foi perseguida e atingida por diversos tiros. Ana Carolina chegou a ser socorrida, mas não resistiu e morreu. Ainda não há pistas sobre o paradeiro do autor do crime.

    Em nota a UEG se pronunciou sobre o caso, veja abaixo.

    NOTA DE ESCLARECIMENTO

    A Universidade Estadual de Goiás – Câmpus Caldas Novas vem a público esclarecer o lamentável incidente ocorrido na manhã desta segunda-feira, 04 de fevereiro, por volta das 6:30 da manhã envolvendo o perímetro de nosso Câmpus.

    Uma jovem de 20 anos, posteriormente identificada como Ana Carolina Emídio, na tentativa de fugir de agressores em uma motocicleta, adentrou o jardim de nosso prédio, sendo alvejada por arma de fogo em seguida. Informamos que, ainda que nossa Instituição de Ensino tenha sido palco para este lastimável acontecimento, a vítima não tinha nenhum vínculo com a Universidade e que que a vigilante do Câmpus tomou todos as medidas possíveis na tentativa de socorrer a vítima, acionando o Corpo de Bombeiros e a Polícia Militar.

    Estamos profundamente consternados com o acontecido, uma vez que a jovem não resistiu aos ferimentos e veio a óbito a caminho da UPA de Caldas Novas. A PM ainda não sabe a motivação do crime e segue com o andamento da investigação. Agradecemos a vigilante por sua presteza ao lidar com a ocorrência, ao Corpo de Bombeiros e também aos policiais militares pelo pronto-atendimento e aguardamos mais informações a respeito do ocorrido. A família UEG se sensibiliza neste momento tão triste e dessa forma expressa os seus sentimentos aos familiares da vítima.

    Atenciosamente,
    A DIREÇÃO

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.