• Publicado em

    Político casado acusado de mandar matar amante gay permanecerá preso, decide Justiça

    O desembargador Valter de Oliveira, da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Rondônia, negou mais uma vez pedido de habeas corpus apresentado pela defesa do sargento reformado da PM e ex-secretário da Saúde de Espigão do Oeste, Eduardo Bezerra da Cruz, acusado por um pistoleiro de ter mandado matar seu ex-amante, Ismael Graunke. O crime aconteceu no dia 2 de agosto.

    Para o desembargador não há ilegalidade aparente no decreto de prisão preventiva e por isso o pedido de liminar foi negado.

    De acordo com investigações da Polícia Civil, Eduardo Bezerra possivelmente estava sendo ameaçado de ver divulgados fotos de seu relacionamento gay com Ismael. A vítima teria feito ameaças.

    A Polícia chegou ao ex-secretário após a prisão, em Cacoal, do homem apontado como o assassino, Sidinei Batista dos Santos, o “Toto”, que confessou o assassinato. Ele disse que concordou em matar o amante de Eduardo Bezerra por R$ 1 mil e também pela amizade que tinha com o mandante.



    Fonte: Rondoniagora
    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.