• Publicado em

    Presa suspeita de facilitar entrada de explosivos em presídio de Trindade; 19 fugiram após explosão

    Marido da detida, que está preso, não conseguiu fugir e ainda ficou ferido.

    Segundo o site Mais Goiás, uma mulher de um detento da Unidade Prisional de Trindade, na região metropolitana de Goiânia, identificada como Akylla Ferrão Antunes, de 24 anos, foi presa sob suspeita de facilitar a entrada de explosivos no local. O material foi usado para explodir parte de uma cela e o muro do presídio, de onde 19 presos fugiram na tarde deste domingo (15).

    Segundo informações da Polícia Civil, o marido de Akylla não conseguiu fugir e ainda se machucou em decorrência da explosão. Outros sete presos também ficaram feridos. Até a manhã de hoje (16), um foi recapturado e três receberam alta médica.

    Chama a atenção o modo profissional que realizaram a fuga. A ironia é que o marido dela não conseguiu fugir e outros detentos sim. Além de não efetuar a fuga, a esposa acabou sendo presa em flagrante. Os planos não saíram a contento e ele está bastante machucado”, disse a delegada responsável pelo caso Paula Meotti ao portal G1 Goiás.

    De acordo com a Diretoria Geral de Administração Penitenciária (DGAP), aconteceram duas explosões. A primeira foi feita dentro de uma cela para distrair os agentes que estavam de plantão. A segunda atingiu parte do muro, nas proximidades da guarita, abrindo um buraco para que os presos conseguissem escapar.

    Entrada dos explosivos

    Akylla foi presa logo após a ação, ao buscar um carro que foi usado por alguns presos na fuga, um Honda Civic. Segundo informações da delegada Paula Meotti, ela teria deixado um veículo ligado nas proximidades do presídio para a fuga. “Combinaram o local que o veículo seria abandonado. Ela retornou para buscar o veículo só que, para o azar dela, uma viatura da Polícia Militar chegou nesse exato momento em que ela retornou para buscar o veículo”, disse a delegado.

    Ainda de acordo com a responsável pelo caso, Akylla organizou a entrada de dez explosivos no presídio por meio de outras mulheres e de um cordel, fio para detonar o equipamento.

    Além da mulher do preso, Jacson Delúbio Santana de França também foi detido suspeito de ajudar na fuga. Ele teria recebido R$ 500 para observa a movimentação dos agentes penitenciários.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.