• Publicado em

    Produtor denuncia ter sido agredido por segurança durante show da cantora Marília Mendonça, em Goiás

    Segundo o jovem, confusão começou depois que ele alertou o funcionário da artista que ele estava proibindo um dos organizadores de subir ao palco. Caso foi registrado na Polícia Civil.

    Segundo informações do G1, um produtor denuncia que foi agredido por um segurança que integrava a equipe da cantora Marília Mendonça durante um show em Goianira, na Região Metropolitana da capital. Segundo Matheus Moreira Campos, de 24 anos, a confusão aconteceu após o funcionário da artista proibir que um dos organizadores do evento subissem ao palco.

    “Ele pegou uma arma, me pegou pelo pescoço, saiu me arrastando para fora do palco, dando murro. Ele me levou para atrás da carretinha da Marília Mendonça, arrancou o revólver, me deu uma coronha na minha testa e eu desmaiei”, relatou.

    Leia também: Marília Mendonça anuncia pausa na carreira e motivo surpreende

    Confusão

    O show aconteceu no domingo (18), na Arena do Lago. Matheus trabalhava para a empresa de Tiago Ferreira do Carmo, organizador do evento. Mateus relatou que a confusão começou por volta das 23h30, após alertar ao segurança que ele estava impedindo outro organizador do evento de subir ao palco.

    “Vi ele empurrando um dos organizadores e fui falar com ele. Aí ele me disse: ‘Quem é você? Quer que que dê um tiro no seu peito? Dou um tiro no seu peito e no dele agora’. Eu disse que as coisas não funcionavam dessa forma e que ninguém era melhor que ninguém, que não somos bandidos”, relatou o produtor.

    Produtor denuncia que confusão aconteceu durante show da cantora Marília Mendonça — Foto: Divulgação

    Conforme Matheus, o segurança ficou mais nervoso ainda e, menos de um minuto depois, voltou armado e começou a agredi-lo fisicamente, além de quebrar o celular dele. Segundo o organizador do evento, ele chamou a Polícia Militar, mas o suspeito fugiu.

    Tiago ressaltou que o funcionário e o sócio impedido de subir ao palco estavam com crachá e pulseirinha que os identificavam como integrantes da equipe. “O contrato determina que tenho direito a 20 pulseiras para acesso ao palco. Eles estavam com crachás e pulseiras de identificação”, garante o empresário.

    Investigação

    O organizador do show levou o funcionário para o hospital e, em seguida, para a Central de Flagrantes da Polícia Civil, em Goiânia, onde há plantão. Matheus também passou por exame de corpo de delito.

    Os policiais registraram um Termo Circunstanciado de Ocorrência por lesão corporal contra o segurança. A investigação do caso deve ficar a cargo dos policiais de Goianira.

    Matheus conta que levou 15 pontos na testa. “Ainda estou com ânsia de vomito, um pouco tonto e com dor no pescoço”, relatou.

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.