• Publicado em

    Professora leva aluno de 12 anos pra fazer sexo no estacionamento da escola

    TEVE CASO DE UM ANO COM ELE!

    A professora Katerina Bardos, de 24 anos, enfrenta graves problemas na Justiça. A mulher, que dava aulas na Brentwood Middle School, em Greeley, no estado do Colorado (EUA), é acusada de ter um caso com um aluno da 6º série. O adolescente, de 12 anos, que não teve o nome divulgado, disse que fez sexo com a mulher no estacionamento da escola e em outros lugares.

    Ele revelou também que teve um caso com a professora. Mais: Katerina teria dado maconha para o garoto em muitos desses encontros.

    Por causa dessas acusações, a professora foi mandada embora da escola.

     Ela nega tudo, mas investigadores dizem ter provas do relacionamento (como troca de mensagens no celular) e o depoimento do próprio garoto .

    De acordo com o jornal britânico Mirror, o garoto disse que fez sexo com a professora em tantas ocasiões “que é até difícil contar quantas foram”.

    Como ter relações sexuais com menores é crime no estado do Colorado, a professora acabou presa e vai responder por abuso de menores, agressão sexual e atentado ao pudor.

    O aluno confirmou essa história em depoimento à polícia, e reforçou que manteve o relacionamento com ela até pouco antes da detençãoA professora foi pra cadeia após uma investigação de três semanas da polícia. Ela continua afirmando que não se envolveu com o garoto.

    professora acabou admitindo que, “numa conversa com o aluno”, forneceu maconha a ele.

    Antes de ela ser detida, a escola já tinha mandado a professora embora, depois que alunos denunciaram o caso a diretores. ELa até se mudeou de cidade, mas, segundo a polícia, o caso com o garoto continuou.

    O caso, segundo a polícia, durou quase um ano, e só terminou pouco antes da prisão da professora, que aconteceu no último dia 8 de maio .

    O aluno confirmou essa história em depoimento à polícia, e reforçou que manteve o relacionamento com ela até pouco antes da detenção.

    A escola enviou um comunicado à família de Katerina, dizendo que a demitiu porque a “polícia descobriu uma conduta grave da funcionária, que pôs em risco a segurança do aluno”, referindo-se ao suposto consumo de maconha e, claro, ao caso entre ela e o menino.

    A fiança foi ficada em cerca de R$ 300 mil, mas a professora disse que não tem dinheiro para pagá-la.

    Katerine não tem passagens pela polícia. Amigos e vizinhos declararam à emissora Denver Channel que ficaram surpresos com a prisão dela. Disseram que é uma “moça agradável e simpática, e dedicada aos alunos” .

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.