• Publicado em

    Sete suspeitos são presos por execução de jovem em uma cova

    Um adolescente também foi apreendido; Paola Avaly Corrêa, de 19 anos, teve sua execução filmada e divulgada nas redes sociais.

    Sete pessoas foram presas e um adolescente apreendido por suspeita de envolvimento na execução da jovem Paola Avaly Corrêa, de 19 anos, em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. A morte da jovem foi gravada e divulgada nas redes sociais. Seu corpo foi localizando no dia 17 de maio na Vila Tamanca, zona leste da capital gaúcha.

    De acordo com a delegada responsável pelo caso, Clarissa Demartini, as investigações apontaram que o crime foi motivado por questões de gênero e confirmou o feminicídio.

    Dois homens seriam considerados os mandantes do crime: o namorado da vítima que está preso por tráfico de drogas e homicídio. E o gerente do tráfico da região onde Paola foi executada. Ambos teriam autorizado o crime de dentro da prisão.

    Um homem de 20 anos foi acusado de ser o autor dos disparos. Ele, junto com outro membro da facção criminosa, foram os responsáveis por raptar a vítima e levá-la para o local de tortura. Um terceiro suspeito teria sido o responsável por cavar a cova. E um adolescente foi apreendido por tortura psicológica. Ele teria ficado com Paola das 8h30 até 17h30 — horário em que ela foi executada pelo grupo.

    A única mulher presa seria a responsável por fazer o vídeo divulgado na redes sociais usando o celular da própria vítima. Ela também teria mandado mensagens para os mandantes do crime informando o passo a passo da execução.

    Os seis foram acusados pelo Ministério Público por homicídio triplamente qualificado — feminicídio, motivo torpe e ocultação de cadáver.

    Um sétimo suspeito foi preso por ocultar o paradadeiro da mulher responsável pelas filmagens.

    O crime

    No dia 13 de maio, Paola compartilhou em suas redes sociais uma mensagem ofendendo o ex-namorado. Ele teria divulgado fotos da jovem em grupos de traficantes rivais. No mesmo dia, a vítima foi até a Cadeia Pública de Porto Alegre falar com o companheiro — última vez em que Paola foi vista com vida. No dia seguinte, começou a circular o vídeo com a execução da moça. Familiares reconheceram a vítima e procuraram a polícia para registrar o desaparecimento.

    Nas imagens, Paola aparece com os braços amarrados para atrás dentro de uma cova. Ela parece calma e se desculpa por algo. Na sequência, é possível ver o momento em que ela deita de bruços e recebe vários disparos na cabeça. O corpo de Paola só foi localizado no dia 17 de maio.

    Fonte/hojees.com

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.