• Publicado em

    Tragédia: incêndio em creche mata 5 crianças; elas tinham idade entre 8 meses e 7 anos

    Na madrugada deste último domingo (11), um incêndio deixou cinco crianças mortas em uma creche na cidade de Erie, na Pensilvânia, Estados Unidos. As crianças tinham idades entre 8 meses e 7 anos e todos estão chocados com esta tragédia.

     Leia também: Projeto de Lei quer garantir que salário mínimo chegue a R$1.040 em 2020  

    Mas no meio de tanto sofrimento, quem mais ficou desesperada foi Valerie Lockett-Slupski, pois ela era avó de quatro crianças que morreram e está desolada. A senhora perdeu dois netos e duas netas, agora não sabe como fará para continuar vivendo. Os netinhos ficaram na creche durante a noite para que os pais pudessem trabalhar e todos ficaram em choque quando receberam a notícia.

    O Corpo de Bombeiros esteve no local para combater as chamas e garantir que todos os focos de incêndio fossem combatidos, mas ninguém ainda sabe o que teria dado início ao fogo. Segundo a agência Associated Press, a creche atendia a todos os requisitos e passou em uma inspeção que foi realizada em dezembro do ano passado.

    Só que em janeiro deste ano, uma nova inspeção foi realizada e observou que havia cinzas e até bitucas de cigarro no local que era destinado a cuidados infantis, onde não é permitido fumar. Nesta ocasião a creche informou que limparia o local e tomaria todas as providências para que isto não voltasse a acontecer. Mas ainda é cedo para dizer que o incêndio aconteceu por causa de algum cigarro, a polícia está investigando para tentar descobrir o que realmente teria acontecido.

    Para os bombeiros que estiveram no local, o fogo deve ter iniciado na sala de estar. A proprietária da creche precisou ser encaminhada para o hospital e seu quadro era estável. Um vizinho também ficou ferido e precisou ser socorrido. Via 1 News

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.