• Publicado em

    Três homens são presos suspeitos de tentar matar mulher de detento enquanto ela amamentava filho, em Goiás

    Segundo a polícia, o próprio marido foi quem ordenou o crime para 'queima de arquivo'. Pai da jovem morreu ao tentar defender a filha, em Aparecida de Goiânia.

    Três homens foram presos suspeitos de tentar matar a mulher de um detento no Presídio de Anápolis, a 55 km de Goiânia, e de assassinar o pai dela. Segundo a Polícia Civil, Lucas Raphael Dionísio Bento, de 24 anos, é chefe de uma facção criminosa e mandou executar a esposa por acreditar que ela sabia demais sobre sua vida criminosa. O sogro dele morreu ao tentar proteger a filha dos tiros.

    Leia também: Empresária morre ao levar choque enquanto lavava calçada de chácara em Goiás

    Foram presos Matheus Ferreira Messias, de 19 anos, Wanderson Costa de Abreu, também de 19, e Thiago da Silva de Oliveira, de 22. De acordo com a polícia, todos confessaram o crime. No entanto, durante a apresentação à imprensa na Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH), na manhã desta terça-feira (27), todos permaneceram em silêncio.

    Em nota, a assessoria de imprensa da Diretoria-Geral de Administração Penitenciária informou que não recebeu nenhuma informação da Polícia Civil sobre o fato de um preso comandar crimes de dentro da unidade prisional. A corporação afirmou que “está à disposição da PC para colaborar com as investigações, caso seja necessário”.

    Baleada enquanto amamentava

    O crime aconteceu no último dia 9 de novembro, no Residencial Itaipu, em Aparecida de Goiânia, Região Metropolitana da capital. O delegado Dannilo Proto, adjunto da DIH e responsável pelo caso, disse que a casa foi invadida pelos criminosos.

    “O Matheus ficou no carro na porta e os outros dois pularam o muro. A vítima estava amamentando o filho. Primeiro, eles pediram o celular, que foi entregue. Em seguida, Thiago, que estava com a arma, deu três tiros, acertando dois nela. O pai dela tentou intervir e foi baleado nas costas”, disse.

    O pai da jovem morreu no local. Ela foi socorrida, ficou uma semana internada e recebeu alta.

    Segundo o delegado, em depoimento, os jovens detidos confessaram que obedeceram a uma determinação Lucas Raphael.

    “Segundo os três executores, o motivo do crime foi porque a mulher do Lucas tinha informações relativas ao tráfico de drogas e não tinha mais interesse em ficar com ele. Diante disso, ele demandou a execução como uma queima de arquivo. Inclusive, eles poderiam até matar a criança, se fosse o caso”, disse o delegado.

    A polícia disse que a mulher está recebendo proteção policial pois, segundo a investigação, Lucas ainda está com o intuito de mandar matá-la, uma vez que o crime não foi consumado.

    Prisões

    Todos os suspeitos foram presos na última sexta-feira (23) enquanto trabalhavam. Thiago e Wanderson vendem melancias. Já Matheus é funcionário de uma loja de peças automotivas.

    Segundo o delegado, os três já têm passagens pela polícia por roubo e tráfico de drogas. Thiago também confessou outro homicídio em 2016.

    “Eles afirmaram que receberiam R$ 2,5 mil para cometer o crime e o dinheiro seria dividido entre os três. Porém, como a mulher não foi morta, o pagamento não foi feito”, afirma o delegado.

    O trio responderá por homicídio e tentativa de feminicidio, assim como Lucas, que já tem passagens por tráfico, homicídio, roubo de cargas e porte ilegal de arma e segue preso em Anápolis. Fonte/G1

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.