• Publicado em

    Um em cada 4 alunos do 2º ano do fundamental não sabe escrever corretamente

    Dado é do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), do Inep.

    Os resultados do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), prova aplicada para o 5º e 9º ano do ensino fundamental, mostraram que um em cada quatro alunos do segundo ano do ensino fundamental não sabe escrever uma palavra de três sílabas a partir de um ditado.

    Dos 5,6 milhões de estudantes que foram submetidos à realização das provas de Português e Matemática em 17 estados do país, apenas 5% chegaram ao nível 8, onde são capazes de inferir informações em textos longos, enquanto que 17,8% alcançaram o nível 4, onde conseguem escrever palavras trissílabas ou localizar informações explícitas no final de um texto curto. Já 27,5% estão nos níveis 1, 2 e 3 de desempenho ou até abaixo do nível mínimo.

    Os níveis são medidos em escalas de 1 a 8. Os resultados foram divulgados por níveis de proficiência, mas não foram indicados quais patamares são considerados adequados. Essa é a primeira vez que a avaliação foi aplicada para avaliar a alfabetização de estudantes do 2º ano do fundamental.

    Outro ponto analisado na pesquisa é a desigualdade em relação às zonas rurais e urbanas e às regiões do país. Em Língua Portuguesa, 10 estados tiveram resultados acima da média nacional, de 750 pontos. Esses estados são: Ceará, São Paulo, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Goiás. Os demais ficaram abaixo da média.

    A aplicação do teste foi mediada por aplicadores que leram partes das questões para a turma. A ideia era que o desempenho dos estudantes em tarefas mais básicas de leitura pudesse ser medido mesmo que o estudante ainda não estivesse plenamente alfabetizado. Os resultados das provas, juntamente com as taxas de aprovação, reprovação e abandono, apuradas no Censo Escolar, compõem o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

    *Com informações do MEC
    Fonte: Agência Educa Mais Brasil
    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.
    Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.
    Se você se interessou por esse artigo, ao comentar marque a opção publicar também no Facebook.